release

Resumo de resultados: 09/Nov/2021

...

Destaques da Divulgação de Resultados:

 

GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A.
Receita líquida: atingiu R$1,9 bilhão, um aumento de 96,4% em relação ao 3T20, -49,5% vs. 3T19. As outras receitas, principalmente cargas e fidelidade, totalizaram R$147 milhões, equivalente a 8% das receitas totais;

 

EBIT ajustado: foi de R$ 338,1 milhões, correspondendo a uma margem de 17,7%, 

 

Prejuízo líquido após participação de minoritários: foi de R$ 0,9 bilhão, excluindo variações cambiais e monetárias, despesas líquidas não recorrentes, ganhos relacionados a Exchangeable Notes e resultados não realizados de capped calls;

 

Geração de Caixa Operacional: foi de R$2 MM/dia. Ao final do trimestre as fontes potenciais de liquidez eram de aproximadamente R$6,1 bilhões de liquidez acessível.

 

Receita Líquida por Assento Quilômetro Ofertado (RASK): foi de R$26,31 centavos, aumento de 7,7% em relação ao 3T20. 

 

Receita de Passageiros Líquida por Assento Quilômetro Ofertado (PRASK): foi R$24,28 centavos, aumento de 10,3% em relação ao 3T20

 

Custo por Assento Quilômetro Ofertado (CASK): foi de R$36,64 centavos, 15,9% menor em comparação ao mesmo período do ano anterior. Os custos incorridos estritamente relacionados aos voos operados (CASK ajustado) corresponderam a R$21,66 centavos, um aumento de 6,3%.

 

Yield médio por passageiro: de R$29,8 centavos, aumento de 7,3% em comparação ao 3T20

 

Vendas brutas consolidadas: atingiram R$2,5 bilhões no 3T21. As vendas médias diárias foram de R$27,6 milhões, as quais representam cerca de 66% dos níveis de venda pré-pandemia, R$9,1 milhões acima do 2T21 e 148% acima do 3T20.

 

Taxa de ocupação média: de 81,5%, um aumento de 2,2 p.p. em relação ao 3T20;

 

Utilização de aeronaves: de 10,2 horas/dia, uma evolução de 52,2% em relação ao 3T20 e Pontualidade de 96%, uma redução de 1,0 p.p. em comparação com o 3T20, de acordo com a Infraero e dados fornecidos pelos principais aeroportos;


 

BANCO BTG PACTUAL S.A.

Receita total: atingiu R$3.845,3 milhões, 2,0% superior ao 2T 2021e 55,2% superior ao 3T 2020.

 

Lucro líquido ajustado: atingiu R$1.794,2 milhões, 4,4% acima do trimestre anterior e 76,6% acima do 3T 2020. 

 

Lucro líquido contábil: totalizou R$1.743,1 milhão no 3T 2021, 3,9% superior ao anterior no 2T21, e 74% superior ao 3T20.

 

ROAE anualizado ajustado: foi de 20,1%, o índice de cobertura de liquidez (“LCR”) foi de 213,5%

 

Patrimônio líquido: encerrou o trimestre em R$36,3 bilhões, crescimento de 3,5% em comparação com 2T 2021 e de 39,2% ao ano.

 

Índice de Basileia: ficou em 16,1% ao final do 3T21. O nosso índice de cobertura de liquidez (LCR) encerrou o trimestre em 214%.

 

Value-at-risk: VaR médio total diário subiu 25,8% em comparação com o 2T21. Como percentual do patrimônio líquido médio, o VaR permaneceu estável no 3T21, atingindo 0,28% – o segundo menor VaR já registrado pelo BTG Pactual.

 

YDUQS PARTICIPAÇÕES S.A.

Receita líquida: crescimento de 15,6% a/a, +R$450,3 milhões. Contribuíram para este resultado os expressivos crescimentos do segmento Premium +36,6% (+ R$113,6 milhões a/a ex-aquisições) e do Ensino Digital +32,2% (+ R$216,5 milhões a/a ex-aquisições), que juntos já representam 49% da receita líquida total da Companhia (+10 p.p. vs. 9M20).

 

Custo dos serviços prestados: nos 9M21 apresentou um aumento de 18,9% a/a. Desconsiderando o efeito das aquisições, o custo dos serviços prestados apresentou um aumento de 10,8% a/a.

 

EBITDA: apresentou um aumento de 31,0% (+R$242,2 milhões a/a) e uma margem EBITDA de 30,6% (+3,6 p.p a/a).

 

EBITDA ajustado: da Companhia totalizou R$1.082,1 milhões e uma margem líquida ajustada

de 32,2% (-3,4 p.p.)

 

Resultado financeiro: apresentou piora de 16,7% (+ R$40,8 milhões a/a).

 

Lucro líquido: apresentou um aumento de 15,8% (+R$31,7 milhões a/a) e uma margem líquida de 7,0%, se mantendo estável em relação ao ano anterior. 

 

Lucro líquido ajustado: redução de 30,0% a/a e apresentado uma margem líquida ajustada de 10,8% (-6,4 p.p. a/a).

 

Contas a receber líquido:  apresentou aumento de R$122,4 milhões vs. 3T20, resultado do aumento do DIS em R$109,5 milhões.

 

Caixa e disponibilidades: encerrou o trimestre de 3T21 em R$1.897,9 milhões, -1,2% vs 3T20

 

Dívida bruta (excluindo arrendamento mercantil): encerrou 3T21 em R$3.850,5 milhões.

 

Dívida líquida/EBITDA ajustado (LTM):  foi de 1,4x.

 

ITAUSA S.A.

Lucro Líquido: totalizou R$ 2,4 bilhões no 3T21, 32% superior ao 3T20, decorrente do maior resultado de equivalência patrimonial e maior custo da holding, conforme explicado acima, e dos efeitos não recorrentes destacados a seguir. O lucro líquido recorrente foi de R$ 2,7 bilhões, 35% superior ao 3T20.

 

Valor do Ativos (NAV): R$ 118 bilhões, aumento de 27% vs. 3T20

 

ROE Recorrente: 17,7% a.a., 6,5 p.p.superior frente aos resultados do 9M20

 

Resultado recorrente proveniente das empresas investidas: foi de R$ 2.814 milhões, incremento de 38% sobre o 3T20

 

Resultado Financeiro: aumento de R$ 70 milhões comparativamente ao 3T20,

 

Alavancagem: Dívida líquida (R$ 4.024 milhões) sobre o passivo total (passivo mais o patrimônio líquido) (R$ 70.712 milhões) era de 5,7%, sendo que o passivo representa 11% do passivo total (passivo mais o patrimônio líquido).

 

Posição de caixa: o prazo médio da dívida da Companhia era de 5 anos e 10 meses e custo médio de CDI + 1,56% a.a



DIRECIONAL ENGENHARIA S.A.

Lucro Líquido: chegou a R$ 47 milhões no 3T21, crescimento de 65% no 3T21 e 59% no 9M21em relação ao ano anterior.

 

Margem Líquida: de 10,4%

 

Margem Bruta ajustada: 36,0% no 3T21

 

EBITDA Ajustado: atingiu R$ 101 milhões no 3T21 e R$ 268 milhões no 9M21.

 

Margem EBITDA Ajustada: de 22% no trimestre, 4 p.p. acima do 3T20.

 

ROE anualizado: atingiu 16% no 3T21

 

Lançamentos no 3T21: atingiu R$1,1 bilhão, crescimento de 88% sobre 3T20.  No 9M21 cresceu 129% em relação ao 9M20, totalizando R$ 2,4 bilhões

 

Vendas Líquidas: no 3T21 chegou ao patamar de R$ 643 milhões, aumento de 40%ante o 3T20. No acumulado do 9M21 totalizou R$1,8 bilhão, crescimento de 53% sobre o 9M20.

 

Índice de Velocidade de Vendas (VSO): de 17% no trimestre.

 

VGV lançado da Riva: atinge R$ 621 milhões no 3T21, o maior volume da história.



PETZ - PET CENTER COMERCIO E PARTICIPACOES S.A.

Receita bruta total: R$ 641, 6 milhões, aumento de 42,5% a.a no 3T21 e no acumulado do 9M21 somou R$ 1,8 bilhão, resultado de + 50,4% a.a.

 

Lucro bruto: R$ 259,8 milhões, resultado 39,6% superior comparado ao mesmo período do ano anterior, no período acumulado de 9M21, somou R$ 714,6 milhões e aumento de 48,8% a.a, repreesentando 40,2% da Receita bruta total.

 

EBITDA ajustado: atingiu R$ 67,2 milhões, acréscimo de 43,4% a.a. E 10,5 da receita bruta total no 3T21. No período acumulado do 9M21, atingiu R$ 163,5 milhões, resultado 43,8% acima do 9M20

 

Margem bruta: no 3T21 foi de 40,5%, redução frente aos 41,4% registrados no 3T20.

 

Lucro líquido: no 3T21 totalizou R$ 26,6 milhões, 56,1% acima do 3T20. No acumulado anual do 9M21 somou R$ 59,8 milhões, + 27,7% acima do ano anterior. 

 

Same Store Sales (SSS): resultado foi 21,8% superior ao ano anterior e atingiu 30,2% de crescimento no período acumulado de 9M21.

 

Fluxo de Caixa Operacional: registrou no 3T21 R$ 40,3 milhões vs. R$ 51,3 milhões no mesmo período do ano anterior.

 

Endividamento: o 3T21 encerrou com uma dívida líquida de R$ 134,1 milhões

 

Caixa e equivalentes de Caixa e Aplicações Financeiras: totalizou R$ 161 milhões, resentandando um nível de endividamente de 0,6x Dívida líquida/ EBITDA, resultado de -0,1p.p frente ao 3T20.



BANCO DO BRASIL S.A.

Lucro líquido ajustado: de R$ 5,1 bilhões no 3T21, aumento de 2,0% frente ao 2T21 e acréscimo de 47,6% em relação ao 3T20. Nos 9M21 registrou lucro líquido ajustado de R$ 15,1 bilhões, elevação de 48,1% se comparado com o 9M20

 

Margem Financeira Bruta (MFB): totalizou R$ 15,7 bilhões no 3T21, crescimento de 11,9% e 9,0% na comparação anual (3T21/3T20) e trimestral (3T21/2T21) respectivamente. No acumulado (9M21/9M20), a MFB cresceu 5,3% totalizando R$ 44,6 bilhões.

 

Risco de Crédito: elevação trimestral de 43,6%, atingindo patamares similares aos observados antes da pandemia e em linha com o crescimento da carteira, e redução de 33,5% em comparação com o 9M20, decorrente das antecipações prudenciais realizadas ao longo de 2020 no montante de R$ 8,1 bilhões. 

 

Recuperação de Crédito: Aumento trimestral de 16,6% e de 7,3% no acumulado em nove meses comparado com o mesmo período do ano anterior. O volume recuperado no 3T21 manteve trajetória crescente.

 

Índice de Basileia: foi de 19,34% e o índice de capital nível I de 16,54%, sendo 13,17% de capital principal.



MARISA LOJAS S.A.

Receita líquida no varejo: R$530,1 milhões, com redução de 3,7% em relação ao 3T19, tendo o SSS das operações Digital e Lojas Físicas atingido o patamar de -0,8%

 

Vendas da plataforma digital: com crescimento 96,6% (base 3T19), ou 19,4% (base 3T20); A partivcipação nas vendas totais foi de 12,5% vs 6,3% no 3T19.

 

Lucro Bruto do Varejo: totalizou R$224,5 milhões, com queda de 4,3% vs 3T19, com Margem bruta de 42,3% contra 42,7% no 3T19. 

 

SG&A do varejo: totalizou R$260,2 milhões, com redução nominal de -2,5% (base 3T19);

 

EBITDA Ajustado: 3T21 totalizou R$12,8 milhões, com reversão contra a perda de -R$0,7 milhões reportada no 3T19, e importante evolução contra o 3T20 quando foi registrado um EBITDA negativo de R$80,7 milhões.

 

Lucro líquido: de R$44,4 milhões, revertendo o prejuízo de -R$124,5 milhões no 3T20 e R$ -R$76 milhões no 3T19;

 

Endividamento líquido (ex-IFRS16): de R$ 552,7 milhões, R$ 121,3 milhões acima do 3T20, 

 

Dívida líquida consolidada Marisa e Mbank:  ajustada com a posição cartões de terceiros, teve alta de 31,4% ano contra ano – valor absoluto de R$100 milhões

 

Consumo de capital de giro: no 3T21  foi de R$56 milhões



SAO MARTINHO S.A.

Receita líquida: totalizou R$ 1.425,7 milhões, 54,0% superior ao resultado da safra anterior, favorecida principalmente, pelo maior preço médio de comercialização de etanol (+68,2%), açúcar (+43,0%), e cogeração (+47,9%). No período acumulado, a receita aumentou 40,8%, totalizando R$ 2.747,3.

 

EBITDA Ajustado:  no 2T22 somou R$ 790,1 milhões (margem EBITDA Ajustada de 55,4%), um aumento de 65,9% em relação ao 2T21

 

Margem EBITDA Ajustado: de 55,4%. A melhora do indicador reflete os preços médios de comercialização do açúcar (+43,0%), etanol (+68,2%) e energia (+47,9%);

 

EBITDA Ajustado: somou R$ 467,2 milhões no 2T22 (+117,6%), com margem EBIT Ajustado de 32,8%.

 

Lucro Líquido: somou R$ 368,4 milhões (+11,0%) no 2T22. O Lucro Caixa somou R$ 431,9 milhões (+37,8%);

 

Fluxo de Caixa Operacional: totalizou R$ 938 milhões no 6M22 – crescimento de 72,1% em relação ao 6M21;

 

Dívida líquida: totalizou R$ 3,2 bilhões - aumento de 20,5% em relação à março/2021, refletindo maior alocação em capital de giro, estoques, que deverão ser convertidos em caixa ao longo dos próximos trimestres. 

 

Preços: Em 30 de setembro de 2021, as fixações de preço de açúcar para a safra 21/22, totalizavam ~526 mil tons de açúcar (~100% da cana própria), a um preço de ~R$ 1.858/ton. Para a safra 22/23, as fixações totalizavam ~420 mil tons de açúcar a um preço de ~R$ 1.929/ton

COMPARTILHAR VIA: